sexta-feira, 12 de abril de 2013


A Intervenção da Terapia Ocupacional no Tratamento de Indivíduos em Recuperação da Dependência Química




O Terapeuta Ocupacional atua no tratamento da seguinte maneira: colhendo informações através da anamnese, do histórico Ocupacional, dos prontuários e da equipe interdisciplinar e rigorosamente – avaliando cada cliente individualmente, para oferecer um tratamento através de atividades terapêuticas baseado na observação dos déficits psico sociocognitivos de cada um.
O tratamento é em grupo (onde a mesma atividade é realizada por todos os membros, ou cada um faz a sua atividade) e o ambiente terapêutico, assim como cada atividade é escolhido com muita cautela e tem como objetivo acolher cada paciente.
O grupo é a verdadeira motivação no processo terapêutico; pois a interação, o estabelecimento de vínculos, as trocas de experiências, vivências e sentimentos facilitam a compreensão e elaboração da problemática acerca da dependência.
Na terapia ocupacional tudo se transforma – as pessoas experimentam o “criar” e o “fazer arte” através da expressão; compartilham sentimentos e emoções, trocam experiências e fortalecem os laços afetivos.
Este trabalho terapêutico também trabalha na reabilitação do dependente químico que tenha dificuldades em realizar suas tarefas cotidianas, trabalha construindo ou reconstruindo o cotidiano, observando as necessidades de cada paciente.
O terapeuta ocupacional vê o paciente de forma holística, como um todo, um ser “biopsicosocial”, utilizando atividades devidamente prescritas para alcançar seu objetivo. A escolha das atividades que farão parte do tratamento é feita de forma criteriosa pelo terapeuta para enquadrar todas as necessidades de cada paciente observando sempre as dificuldades e necessidades do mesmo além de sua satisfação dentro processo evolutivo de seu tratamento.
Todas estas atividades melhoram a auto-estima e a coordenação dos movimentos, além de estimular o mesmo a reinserir-se na sociedade.
Cada atividade proporciona a melhora ou a manutenção de um déficit perdido ou comprometido. A terapia ocupacional é mais um dos recursos terapêuticos condutores do tratamento e une-se às demais áreas: psicologia e psiquiatra dentro do programa de recuperação em dependência química.