quinta-feira, 16 de maio de 2013


Pulverizados, órgãos e iniciativas não conseguem se articular

Segundo relatório da Comissão Global da ONU, “apesar de os governos, cada vez mais, reconhecerem que estratégias policiais para o controle das drogas precisam estar integradas em uma abordagem mais ampla, social e de saúde pública, as estruturas das políticas públicas, de orçamento e de gastos públicos não se modernizaram na mesma velocidade”.

Nos debates na subcomissão do Senado, ficou evidente que o Brasil não escapa desse diagnóstico. Isso foi reconhecido, inclusive, pelos representantes dos ministérios da Saúde, Justiça e Desenvolvimento Social que participaram das audiências públicas.

No Brasil, as estruturas de elaboração e execução das políticas governamentais relacionadas à dependência química estão distribuídas entre vários ministérios, formando o Sistema Nacional de Políticas Públicas sobre Drogas, o Sisnad.