sábado, 9 de março de 2013

A auto-aceitação é o útero de onde nasce a auto-estima



Aceitar-se é honrar o ser que você é e a sua jornada. É dizer sim para si mesmo(a), sem esperar pelo sim do outro, como acontece freqüentemente.
Quando você era criança ouviu muitos "nãos", muitos "você não pode". A educação do "não" levou-o(a) a abandonar pelo caminho partes importantes de si mesmo(a), que ficaram por aí, carentes de amor e atenção. Você tornou-se uma pessoa fragmentada. Pior do que isso, tornou-se um juiz implacável de si mesmo(a), disposto(a) a julgar-se e a condenar-se. Contudo, não é através da desaprovação, do julgamento e da punição, que você se tornará uma pessoa melhor. Saia do tribunal e acolha a pessoa que você é, porque você tem o direito de ser quem é e esse direito baseia-se no desejo natural que você tem para aprimorar-se e de realizar todo o seu potencial. É como se você dissesse para si mesmo(a): "Eu me amo tanto, que desejo realizar todo o meu potencial".
Aceitar-se como você é, quando acerta, quando erra e com todos os seus problemas, indica respeito por si mesmo(a), amor a si mesmo(a) e compromisso consigo mesmo(a). É um acelerador de mudanças, porque ao contrário do que muitos pensam, a atitude de aceitação não significa que você não quer melhorar, mas que você tem um compromisso com o auto-aperfeiçoamento. É o acolhimento de todos os aspectos de quem você é, que permite o seu crescimento integral. Portanto, diga sim para si mesmo(a).
Uma vez que você se aceita, você pode estender essa amabilidade aos outros e seguir o ensinamento de Jesus, que disse: "Amai ao próximo como a ti mesmo". Contudo, a tolerância não é apenas uma atitude cristã, mas ela nos expande internamente, pois é a outra face da auto-aceitação e envolve compaixão.
Quando você expande a tolerância para os outros, você abre a sua mente para as diferenças. Você compreende que a diversidade é parte da criação de Deus. Assim, na medida em que você se torna mais tolerante, começa a celebrar as diferenças, mais do que confrontá-las e o que o nosso planeta mais necessita, neste momento, é de um fluxo de tolerância.
Lembre-se de que ser tolerante não significa que você tenha que concordar com qualquer coisa que qualquer um pense, diga ou faça. Significa que você é suficientemente seguro de suas próprias crenças, sentimentos e valores e de que estes não são ameaçados pelas diferenças. Significa que você é capaz de ouvir respeitosamente o outro, como é capaz de ouvir o seu coração.
Auto-aceitação e tolerância são faces da mesma moeda. Quando você consegue deixar os seus julgamentos de lado, olhar-se, vendo além do certo e do errado, como conseqüência você se torna capaz de tolerar o outro, mesmo que existam divergências.
Diga sim para você mesmo(a) e mude sua vida!