sábado, 9 de março de 2013


1º PASSO

“Admitimos que éramos impotentes perante nossa adicção e que nossas vidas tinham se tornado incontrolável.”

Meu entendimento: Não posso usar drogas e viver essa combinação impossível "Impotência" me drogo mesmo contra minha vontade.

Adicção: doença física, mental e espiritual, progressiva, incurável e fatal, uma doença que afeta todas as áreas de nossas vidas.

Aspectos da doença: Físico: uso compulsivo de drogas, sou incapaz de parar a partir do momento que retomo o uso.

Mental: obsessão, desejo incontrolável de usar mesmo ciente da destruição da minha vida.

Espiritual: total egocentrismo, obsessão espiritual.
Resultados da doença: Negação, substituição, racionalização, justificação, desconfiança, culpa e vergonha.

IMPORTANTE: Não somos responsáveis por nossa doença, mas somos responsáveis por nossa recuperação. Até abrir mão de todas as reservas e restrições colocaremos em risco os alicerces de nossa recuperação. Quando nos livramos de todas as reservas e restrições finalmente nos rendemos. Se não podemos controlar nossa adicção como podemos controlar nossas vidas? Ou mudamos nossas antigas maneiras de pensar ou voltamos ao uso.
Rendição: Significa que não temos mais que lutar. Aceitamos nossa adicção e a vida como ela é. Estamos dispostos a fazer o que for necessário para ficarmos limpos, até o que não gostamos de fazer. A ajuda aos adictos só começa quando admitimos a completa derrota. Esse é o alicerce sobre o qual construímos nossas novas vidas. As drogas tinham o poder de nos transformar em alguém que não queríamos ser.

IMPORTANTE II : Fique atento, pois a adicção pode se tornar ativa em outras áreas de nossas vidas. Tornar os princípios da aceitação, humildade, boa vontade, honestidade e mente aberta é fundamental para a recuperação. A rendição incondicional é fundamental. Brecar comportamentos antes que eles venham obscurecer nossa rendição. Existe alguma “coisa” em nós que nos torna incapazes de controlar o uso de drogas, essa mesma “coisa” nos torna propensa a obsessão e a compulsão. Quando podemos dizer que nossa doença esta ativa? Quando caímos nas armadilhas das rotinas obsessivas, compulsivas e egocêntricas. Círculo vicioso que não nos leva a lugar nenhum a não ser a decadência física, mental, espiritual e emocional.