sexta-feira, 22 de fevereiro de 2013

Só por hoje

Diz para ti:


SÓ POR HOJE, vou concentrar‐me na minha recuperação, vivendo e gozando a vida sem ter de
usar drogas.

SÓ POR HOJE, terei confiança em alguém de NA que acredite em mim e queira ajudar‐me na
minha recuperação.

SÓ POR HOJE, terei um programa. Tentarei segui‐lo o melhor que puder.

SÓ POR HOJE, tentarei compreender melhor a minha vida através de NA.

SÓ POR HOJE, não terei medo. Pensarei nos meus novos amigos, pessoas que não estão a usar
drogas e que encontraram um novo modo de vida. Se eu seguir este caminho, não terei nada
a recear.

Quando viemos para o Programa de Narcóticos Anónimos, tomámos a decisão de entregar a
nossa vida aos cuidados de um Poder Superior. Esta entrega alivia o peso do passado e o medo
do futuro. Encontramos a dádiva do dia de hoje.

Aceitamos e gozamos a vida como ela é agora.

Quando recusamos aceitar a realidade do dia de hoje, estamos a negar a nossa fé no nosso Poder
Superior. Isso só nos trará mais sofrimento.

Aprendemos que o dia de hoje é uma dádiva sem quaisquer garantias. Tendo isto em mente, a
insignificância do passado e do futuro, bem como a importância dos nossos actos no dia de hoje,
tornam‐se reais para nós. Isso simplifica as nossas vidas.

Quando focamos os nossos pensamentos no dia de hoje, o pesadelo das drogas desaparece
atrás do nascer de uma nova realidade. Descobrimos que quando estamos preocupados
podemos confiar os nossos sentimentos a outro adicto em recuperação.

Ao partilharmos o nosso passado com outros adictos, descobrimos que não somos diferentes e que temos coisas em comum.

Falar com outros membros de NA, seja ao partilharmos com eles os acontecimentos e os
problemas do nosso dia, seja ao deixarmos que eles partilhem os deles conosco, é uma maneira
de o nosso Poder Superior actuar através de nós.

Não haverá nada a recear se durante o dia de hoje nos mantivermos limpos de drogas, perto
do nosso Poder Superior e dos nossos amigos de NA.

Deus perdoou‐nos os erros do passado, e o dia de amanhã ainda não chegou.

A meditação e um inventário pessoal irão ajudar‐nos a ganhar
serenidade e a percorrer o caminho do dia.

Guardamos alguns momentos da nossa rotina diária para agradecer a Deus, na forma em que O concebemos, por nos dar a capacidade para lidar com o dia.

“Só por hoje” aplica‐se a todas as áreas da nossa vida, não só à abstinência de drogas. Temos
de lidar diariamente com a realidade.

Muitos de nós sentimos que Deus não espera mais de nós senão que façamos hoje aquilo que pudermos fazer.

Praticar o programa, os Doze Passos de NA, deu‐nos uma nova perspectiva das nossas vidas.
Hoje já não precisamos de arranjar desculpas para aquilo que somos.

O nosso contato diário com um Poder Superior preenche aqueles espaços vazios dentro de nós que antes não conseguíamos preencher.

Sentimo‐nos bem ao viver o dia de hoje.

Com o nosso Poder Superior a guiar‐‐nos, perdemos o desejo de usar drogas.

A perfeição deixa de ser hoje um objetivo, pois sabemos que basta sentirmo‐nos bem com nós mesmos.

É bom lembrarmo‐nos de que qualquer adicto que consegue manter‐se limpo de drogas por
um dia é um milagre.

Ir a reuniões, praticar os Passos, meditar diariamente, falar com pessoas
que estejam no programa, são coisas que fazemos para nos mantermos espiritualmente
saudáveis.

Torna‐se possível viver uma vida responsável.

Podemos substituir a solidão e o medo pela confiança em NA e pela segurança de um novo
modo de vida.

Não mais precisamos de estar sós.

Em NA fizemos mais amizades verdadeiras do que alguma vez julgávamos possível.

A autopiedade e os ressentimentos são substituídos pela
tolerância e pela fé.

São‐nos dadas a liberdade, a serenidade e a felicidade que tão desesperadamente procurávamos.

Num só dia acontecem muitas coisas, coisas positivas e coisas negativas.

Se não dermos a nós mesmos a oportunidade de viver ambas, perderemos decerto algo que nos ajudará a crescer.

Os nossos princípios de vida irão guiar‐nos na recuperação sempre que os pusermos em prática.

Sabemos que é necessário continuar a fazê‐lo diariamente.